Falôôô... A opinião de Jota Jota*
Jota Jota

Se estivéssemos falando sobre bilhar e ou sinuca, modalidade em que o baiano Rui Chapéu (in memoriam), era um mestre inconteste, a tacada desta noite no Ceará, quando enfrenta o Fortaleza, o Bahia vai precisar matar a bola sete, e assim encaminhar a sua permanência na elite do Brasileiro, tendo em vista a situação dos cinco clubes que beiram a zona do rebaixamento.

Pois vejam a pontuação de todos, faltando apenas seis pontos a serem disputados, e seus confrontos nesta 37ª rodada: o Sport com 42 pontos, recebe o Atlético Mineiro que briga por libertadores; Fortaleza com 41, tem confronto direto com o Bahia que soma 38 pontos; já o Vasco, com 37, vai enfrentar o Corinthians em São Paulo, time que também quer a Libertadores; e finalmente o Goiás, com 36 na tábua de classificação, recebe na Serrinha o Bragantino.

Vejam os senhores, que todas as paradas são difíceis e sem um prognóstico a ser taxado, pois todos na reta final, e perigando perder cerca de 63 milhões para a temporada imediata, viram feras feridas. Como o confronto é direto, e o Bahia, ao contrário do Fortaleza, vem de um resultado excelente fora de casa, deixa para seu torcedor a esperança de um bom resultado.

Mas fico com as palavras de Dado Cavalcanti, quando de sua coletiva após o encerramento das atividades: “É preciso que o futebol jogado contra o Atlético, não tenha ficado em Belo Horizonte”. Corretíssima a dedução do treinador. O Bahia vai precisar da mesma garra e aplicação mostrada diante do Galo Mineiro. Como falamos em bilhar, o professor está numa sinuca de bico.

Com o retorno e liberação de alguns considerados titulares que ficaram à disposição, o que vai fazer o mestre Dado? Muda o time, ou aposta no misto quente, que engasgou o time mineiro? Mas é o tipo do problema que satisfaz, podendo ter a força considerada máxima, e com as boas opções que encontrou na rodada 36. Então, senhores, faltando duas bolas para serem encaçapadas, é melhor matar logo a sete (o Fortaleza), para depois ver o que se faz com a seis (Santos), já que se a jogada for bem-feita, a seis fica na boca da caçapa.

Jogo em que todas as atenções estarão voltadas para a capital do Ceará, e como o toque de recolher começou ontem, não vai ter aglomeração nos bares do Imbuí, comprem suas cervejas, seus tira gostos e fiquem em casa, a pandemia voltou com força total.

Que o baiano Rui Chapéu, de onde estiver, possa dar a dica de como o Bahia, vai matar esta bola sete, sem dar bico de caçapa.

#PRONTOFALEI.

*O texto é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Agência CH.