Times da Bahia no Brasileirão

Por Jota Jota - Foto/capa: Arthur Dallegrave/Divulgação/ECJuventude
Jota Jota

Tenho observado nas redes sociais, e até participado de comentários em grupos de Zap, sobre os times do Bahia, Vitoria, e até mesmo do Jacuipense, que vem atuando nos certames promovidos pela CBF. Quando falo que os times estão com elencos bem abaixo do que os escudos são merecedores, não critico os resultados, porque os três conseguem se manter no meio das tábuas de classificação A, B e C, o que, na minha opinião, não é o bastante.

E não falo de excelentes exibições, e ou de jogar bonito, mas sim de ter uma regularidade, uma coerência. E aproveitar as oportunidades surgidas, que por falta de técnica apurada, e até mesmo de um esquema bem elaborado pelos treinadores, que também sentem falta de matéria prima, e que sem isso, o resultado, nem sempre é satisfatório. Sei muito bem, que nas séries B e C, e olhem, até mesmo na A, não se tem jogos espetaculares, ou até mesmo espetáculos, esta era de futebol show, acabou há muito tempo no Brasil.

O que não acabou foi o desejo do torcedor de ver o seu time cada ano melhor, buscando voos mais altos, o que infelizmente, não acontece na Bahia, em números de anos, que já até perdi a conta. Nestas tais conversas e postagens, vejo e respeito opiniões, de que o time jogou muito, o juiz interferiu no marcador, que levou azar, mas o adversário era ruim. Não corroboro com tais opiniões, se sou drástico e duro, porque acho que o futebol baiano, precisa URGENTEMENTE deixar de ser PARTICIPATIVO e se tornar COMPETITIVO.

E não cabe a mim reorganizar as equipes, mas sim aos dirigentes dos clubes em disputa, do maior e mais extenso e complicado certame, que se joga no Brasil, e em todas as séries, e faltando ainda a série D, onde teremos três representantes do interior, e como estarão estes clubes, cujo auxílio financeiro da Federação Baiana é zero. Fico atônito, quando torcedores ainda defendem os elencos de Bahia e Vitoria na atual conjuntura, e vejam que o treinador de ponta, que o Bahia trouxe, já acenou que a partida diante do Corinthians, vai definir mudanças no elenco.

Se não atentarem para o óbvio, revitalizando os elencos, trazendo jogadores que venham dar respostas em custos benefícios, viveremos mais e mais rodadas, sofrendo, e ou esperando um milagre do SOBRENATURAL DO ALMEIDA, aquela bola espírita, que só o ALMEIDA sabe como entrou, e os pontos fora conquistados, com isso, os defeitos vão sendo maquiados e o barco segue seu curso, enfrentando o mar revolto.

Me digam, se os elencos fossem um pouco mais qualificados, Vitoria teria empatado em Caxias do Sul com o Juventude, ou com as poucas oportunidades, os outros dois pontos chegariam?, O mesmo falo do Jacuipense, quinto colocado no Grupo A da série C, com um jogo a menos, e a um ponto do G-4, mas deixou de vencer em Pituaçu, embora tenha atuado contra o até então líder, o Ferroviário do Ceará, pontos que escapam pelo vão dos dedos, e que na reta final, farão falta.

Mas em todas as torcidas, achamos quem esteja satisfeito, e o que se pode fazer, nada, apenas respeitar suas opiniões, mesmo discordando das mesmas, por querer muito mais, e bem melhor para o futebol da Boa Terra, que se administrado profissionalmente, estaria bem melhor, e os chamados grandes, brigando na ponta das tabelas, e os perquenos se auxiliados pela madrasta FBF, também fariam belo papel, mas sou só uma andorinha, ou melhor pássaro preto, preso em seu próprio canto, ou seja, sua opinião.

#PRONTOFALEI.