Falôôô... A opinião de Jota Jota
Jota Jota

Se estivesse eu narrando boxe, diria que o time rubro negro levou uma queda, derrubado pelo adversário, e que o mediador do confronto iniciou a contagem dos dez segundos, depois do cruzado de direita na ponta do queixo que o deixou sem imagem e som. Mas como seu coach, jamais jogaria a toalha, sabendo que o pupilo ainda dava sinais vitais, propenso a uma recuperação, mesmo tendo sido salvo pelo gongo.

Ainda faltam 3 assaltos, para o fim desta luta e, mesmo sabendo que seu estado atlético requer cuidados e atenção, e seu poder de punch é mediano, tudo poderá acontecer neste tempo que falta, e o pupilo leão deixar o ring sem ser totalmente nocauteado, perdendo a luta, mas se mantendo de pé.

Contra a Chapecoense não vimos nada de diferente, o mesmo time, com as mesmas atitudes, sem poder de ataque, mesmo com os catarinenses abdicando de se empenharem mais fortemente, buscando a liderança da competição, após o tropeço do América Mineiro. Embora tenha somado apenas um ponto, os demais resultados, fizeram com que todos permanecessem no mesmo lugar, e as decisões vão acontecer nas partidas seguintes.

Podem me dizer, do que valeu o protesto da torcida organizada no Barradão? Em que ajudou os jogadores, e ou até mesmo os funcionários a receberem seus atrasados, e o time hein, nada, vezes nada. Gastaram salivas, tempo, se aglomeraram correndo riscos da Covid-19, e o empate veio como resposta.

Agora, é segurar nas mãos de Deus e ir.

#PRONTOFALEI.

(O texto é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Agência CH)