Da Redação – por Tony Martins

Não foi fácil, mas a Sociedade Desportiva Juazeirense venceu o Cruzeiro de Belo Horizonte na noite desta quarta-feira (09/06/2021), no estádio Adauto Moraes em Juazeiro da Bahia, cuja disputa valia uma vaga na quarta fase da Copa do Brasil. Os juazeirenses conseguiram um placar de 1 a 0, levando a decisão para os pênaltis, e saindo vencedores diante dos cruzeirenses.

Juazeirense e Cruzeiro fizeram um primeiro tempo de pouca inspiração, por isso o placar saiu zero a zero. Bom para o Cruzeiro que venceu o jogo de ida por um a zero, precisando apenas de um empate para seguir na competição.

Pouca criatividade e poucos chutes a gol foi a tônica da primeira etapa, onde o pouco que ocorreu foi em cobranças de escanteios e alguns chutes sem perigo para os goleiros Calaça e Fábio.

No segundo tempo o treinador Carlos Rabelo ousou em suas modificações, ao perceber que o Cruzeiro passou a utilizar o jogo defensivo como forma de garantir o empate. Ele fez quatro mudanças, já havia feito uma no primeiro tempo. Tirou o zagueiro Mineiro e colocou o atacante Thauan, tirou o meio campista Sapé para a entrada de outro atacante, Waldir, colocou Kanu em substituição a Clebson e Ian para vaga de Tony Galego.

Dessa forma, Waguinho passou a jogar de zagueiro, ao lado de Wendel, os laterais Guilherme Lucena pela direita e Daniel pela esquerda, passaram a ser efetivos no ataque. Com apenas Patrik de volante e Kanu como meia armador, a Juazeirense depois dos trinta minutos finais, atuou com quatro atacantes: Ian, Thauan, Waldir e Kesley, que criaram boas chances de gol para o Cancão.

O gol da Juazeirense surgiu aos 40 minutos finais, a bola foi alçada na área, já na linha de fundo, Kanu tocou de cabeça, e Thauan, mostrando muita presença, finalizou para o fundo das redes, estabelecendo o triunfo do Cancão de Fogo.

Novamente nos pênaltis

A Juazeirense foi para a sua terceira decisão por pênaltis esse ano: eliminou o Volta Redonda na Copa do Brasil e foi eliminado pelo Atlético de alagoinhas na semifinal do Campeonato Baiano.

Rodrigo Calaça brilha

A expectativa da torcida e dos dirigentes era grande, aumentada quando o Cruzeiro desperdiçou duas cobranças e a Juazeirense converteu os dois primeiros pênaltis. Ficou irreversível, pois Calaça pegou mais uma cobrança e o jogo foi encerrado sem a necessidade de a Juazeirense cobrar seu último pênalti. Final, Juazeirense 3 a 2.

Thauan sai do banco para brocar

Juazeirense x Cruzeiro – gol de Thauan – Copa do Brasil – Foto Carlos Humberto-Agência CH

O atacante Thauan não é titular da Juazeirense, no entanto já é um de seus principais artilheiros, pois, as vezes que foi requisitado deixa sua marca. Fez contra o Doce Mel e Atlético de Alagoinhas no Campeonato Baiano, marcou o gol de empate na estreia do time na série D contra o Itabaiana em Sergipe e foi responsável de levar seu time para os pênaltis, marcando no finalzinho do jogo contra o Cruzeiro, o que vai render aos cofres do clube a bagatela de 2.7 milhões de reais.

Não tem jeito: o Adautão é do Cancão

Desde o dia 04 de abril de 2018, quando perdeu para o Confiança de Sergipe por um a zero, gol de Léo Ceará, valendo pela série C, a Juazeirense jogou 18 vezes em competições nacionais, no estádio Adauto Moraes. De lá para cá, ninguém fora do estado da Bahia conseguiu vencer a Juazeirense no estádio Adauto Moraes. Foram 18 jogos com 10 vitórias e 8 empates, valendo pelas Séries C e D, Copa do Brasil e fase pré Nordeste.

FICHA TÉCNICA

JUAZEIRENSE 1 X 0 CRUZEIRO- pênaltis: 3 X 2

GOL:  Thauan 40 2° tempo.

ESTÁDIO ADAUTO MORAES- JUAZEIRO- BA

ÁRBITRO CENTRAL- Rodrigo Cavalhares Miranda

ASSISTENTES- Tiago Henrique Neto e Tiago Rosa de Oliveira

JUAZEIRENSE: Rodrigo Calaça; Guilherme Lucena, Mineiro (Thauan), Eduardo (Wendel) e Daniel; Waguinho, Patrik, Sapé (Valdir) e Clebson Kanu); Tony Galego (Ian) e Kesley. Técnico Carlos Rabelo.

CRUZEIRO (Claudinho); Mateus Neris (Paulo), Matheus Barbosa, Rômulo e Airton (Felipe Augusto); Bruno José (Marco Antonio) e Guilherme Bissoli. (Adriano) Técnico: Felipe Conceição.