Por Carlos Humberto – texto e arte

O cenário está pronto, à espera de artistas e público. O Estádio Adauto Moraes, após a inédita decisão do campeonato baiano entre o Juazeiro Social Clube e Esporte Clube Bahia em 2001, se engalanou para receber mais um importante evento esportivo, desta vez entre a Sociedade Desportiva Juazeirense e o Clube de Regatas Vasco da Gama, quando, em partida única, decidem quem permanece na disputa da Copa do Brasil deste ano.

A cidade, como boa anfitriã, deu as boas-vindas aos visitantes, mas quando a bola rolar o grito da arquibancada deverá ser um só: Cancão! Cancão! Cancão!

Proprietária do estádio, a Prefeitura Municipal de Juazeiro mobilizou diversas secretarias para, em conjunto, atender às exigências da Confederação Brasileira de Futebol e da emissora detentora dos direitos de transmissão para o Brasil e exterior.

O prefeito Paulo Bomfim não mediu esforços para colocar a principal praça esportiva do município à altura do espetáculo que anuncia para logo mais. O tradicional Adauto Moraes, que já dispõe de boas acomodações para os torcedores, vestiários climatizados e cabines de imprensa dotadas de internet, ganhou o sonhado reforço na iluminação, além de cuidados pontuais em determinadas áreas do campo.

Não fosse por novas determinações da Fifa, que reformulou o conceito de espaço para os torcedores nas arquibancadas, o clássico desta quarta-feira poderia superar o público recorde de 12.500 pagantes da final de 2001.

Os torcedores vascaínos do Vale do São Francisco, que já deram uma demonstração plena de apoio ao seu time desde a chegada da delegação, prometem invadir o estádio tão logo os portões sejam abertos.

Do lado juazeirense, o clima não é menos intenso. Com o apoio de torcedores de outros clubes, a exemplo do Juazeiro Social Clube e, principalmente, dos rivais vascaínos como Flamengo, Fluminense e Botafogo, o Cancão de Fogo terá uma verdadeira artilharia em todos os cantos do Adautão.

Para o representante local, só a vitória interessa, de acordo com o novo regulamento da competição. Graças à posição mais privilegiada que tem no ranking de clubes da CBF, o time carioca passa de fase com apenas um empate.

O evento esportivo desta quarta-feira 6, será mais um marco na história do futebol juazeirense, e um possível triunfo do Cancão entrará nos anais do futebol nacional entre aqueles que, sem a pompa dos favoritos, abateu um gigante em terras ribeirinhas.