Luxemburgo defende treinamentos abertos nos clubes

Por Jota Jota - Foto-Capa: Divulgação/SEP
Jota Jota

Dos vários assuntos em pauta no programa Bem Amigos desta segunda-feira 10, o que mais me chamou a atenção fora a pergunta feita pelo ex-treinador e hoje comentarista Muricy Ramalho ao entrevistado Wanderley Luxemburgo, campeão paulista pelo Palmeiras, referente ao aparecimento dos trabalhos dos bons treinadores brasileiros, que estão escondidos nos treinamentos fechados dos clubes, o que fora comentado por Wanderlei, há dias passados.

Com toda segurança, o campeão paulista, que a princípio era favorável ao fechamento dos treinos, mudou radicalmente de ideia, ao assumir o Vasco da Gama, e agora na Sociedade Esportiva Palmeiras, onde a imprensa em via de mão dupla pelo respeito, tem podido assistir os seus treinamentos, o que ainda é muito contestado. Luxa revelou que a imprensa e o torcedor, não são inimigos dos jogadores e treinadores, e é só através da imprensa que tudo do clube chega aos seus torcedores.

E não só o repórter, mas também os comentaristas deveriam assistir treinamentos, para que estejam embasados tecnicamente, pelo que viram no trabalho dos treinadores, à medida que a partida se desenvolva. Mas que a imprensa respeite o momento quando o trabalho for, nas jogadas ensaiadas, baixando as câmaras, e desligando os celulares, a pedido da assessoria de imprensa. Nada mais justo, e a retomada do livre trabalho dos repórteres, hoje tolhido, pela tola decisão de dirigentes.

Enfim, uma luz na entrada deste nefasto túnel, que não deixa o torcedor ter notícias diferentes das que querem os dirigentes, que estão a esconder o que todo mundo sabe. E sim o trabalho dos treinadores, está ficando escondido, sua forma de implantar o esquema de jogo, e montagem dos seus times, fica às escuras, e com a imprensa, dando uma de mãe Diná, tentando adivinhar, ou deixando de fornecer a informação precisa.

Quem sabe, não estejamos próximos do fim desta BURROCRACIA, que tirou da imprensa o direito de ir e vir, e do torcedor apaixonado pelo seu clube, de notícias diversificadas, não tendo que engolir os enlatados dos dirigentes, e de treinadores, que foram atrás da banda, sem entender o porquê da música, sem perceberem, que o seu trabalho, estaria sendo impedido de ser divulgado. E que venha logo, a abertura dos treinamentos, que os companheiros de crônica esportiva, respeitem os momentos dos treinadores, e que sejam respeitados, simples assim, e o futebol, poderá ter de volta, informações exatas e fresquinhas, sem a industrialização de dirigentes.

#PRONTOFALEI.