Falôôô... A opinião de Jota Jota
Rodrigo Calaça virou paredão nas penalidades (Foto: Adolfo Júnior)

A cidade de Juazeiro está flutuando nesta quinta-feira 10, com o feito conseguido pela Juazeirense, ao eliminar na terceira fase da Copa do Brasil, o poderoso Cruzeiro de Belo Horizonte, time seis vezes campeão da competição, e que se dobrou diante do Cancão de Fogo, se esbarrando nas luvas de Rodrigo Calaça, na inteligência Clebson, no gol de Thauã, e no empenho de todo elenco, que queria e buscou mais uma vez um resultado adverso.

Futebol é coisa séria sim senhor, e um trabalho bem-organizado, e com foco nos objetivos, mostra resultados surpreendentes, como os que estamos vendo a Juazeirense conseguir. Em todos estes anos de existência, em 2021 tudo vem sendo realizado com profissionalismo acima de tudo. Claro que falhas e tropeços vão existir, mas faz o clube a sua melhor campanha no começo de uma temporada.

Os torcedores de Juazeiro, indistintamente, estão vibrando com a classificação do time para as oitavas de final, pois o time já é um dos 16 melhores da Copa do Brasil, e escreve em seus alfarrábios uma história bonita e com galhardia ao derrubar gigantes, como Sport e Cruzeiro, e a emoção sentida, é surreal.

E não foi por acaso não, nos dois jogos disputados com o Cruzeiro, a Juazeirense atuou em igualdade de condições, se não melhor que o time das Alterosas. É preciso que se diga também, que o técnico Carlos Rabello, tem uma bela porcentagem nestes dois jogos, lendo o jogo nesta segunda partida, e fazendo mudanças que deram por demais certo.

Merecida a premiação ofertada pela direção do clube a estes operários da bola, que aos poucos, vão solidificando o clube no cenário nacional, e levando o nome de Juazeiro-BA para os quatro cantos do Brasil e do mundo.

#PRONTOFALEI@JOTAJOTA