A opinião de Jota Jota - Foto: Felipe Oliveira
Jota Jota

Antes de a bola rolar na primeira partida da final, escrevi em um dos meus comentários que os clubes baianos estavam me preocupando muito, devido suas performances, nesta retomada após a quarentena. De todos os jogos que conseguimos ver, todos deixaram a desejar, mostrando falhas constantes e deixando evidente a necessidade de reforços pontuais e urgentes.

E o que eu temia aconteceu com o Bahia diante do Ceará, um time que não conseguiu escapar das armadilhas de Guto Ferreira e caiu por 3 a 1 na tarde deste sábado em Pituaçu.

Algumas deficiências ficaram evidentes ao longo do confronto, além de não ter poder ofensivo, dependendo apenas das arrancadas de Élder, que sozinho não conseguiu fazer verão.

De imediato, a culpa recaiu novamente em Roger Machado, com contestações na formatação do time, das demoradas substituições. Debito a ele 40% da culpa sim, mas e o restante, como ficam os 60% de um time cujos atletas não rendem?

Bahia-1×3 Ceara Copa do Nordeste 01-08-2020 (Foto: Felipe Oliveira/ECBahia)

Não digo que a derrota fora vexatória, pois clássico é clássico e tudo pode acontecer, embora o Ceará tenha sido mais time em campo. Claro que o torcedor tricolor não jogou a toalha, afirma que a decisão é feita em 180 minutos, e a outra metade ainda está por vir, e que se pode reverter o resultado, mesmo com a vantagem de dois gols, adquiridas pelos visitantes.

Viu que eu tenho razão, quando me preocupo com os times baianos, porque ao enfrentarem equipes um pouco mais gabaritadas, não se consegue mostrar um futebol convincente, e o pior, os resultados não veem, o que deixa o torcedor atônito e desconfiado do que poderá acontecer.

Vamos esperar para ver, porque os mentores devem tomar as devidas providências, para reforçarem seus elencos, se querem mesmo, alcançar os objetivos traçados.

#PRONTOFALEI.