Por Tony Martins

Ainda não existe um consenso com relação à volta do Campeonato Baiano 2020. A primeira e principal questão refere-se a dois aspectos inversamente proporcionais: enquanto diminui o tempo para o cumprimento do calendário do futebol, aumenta o número de casos de contaminação pelo coronavírus no Brasil e na Bahia. Há um entendimento da CBF e de clubes das séries A e B de que o Campeonato Brasileiro pode ser iniciado já na primeira quinzena de agosto, sendo que o certame baiano dependerá de seis datas para ser encerrado: duas rodadas ainda da primeira fase, os jogos de ida e volta da fase semifinal e mais dois jogos da finalíssima.

O período entre o fechamento do Campeonato Baiano e o início do Campeonato Brasileiro é compatível com a situação, contudo, não é suficiente para preparação de muitas equipes que disputam a competição estadual, já que apenas Bahia, Vitória, Bahia de Feira, Jacuipense e Atlético de Alagoinhas sinalizam com o retorno aos treinamentos. Ainda se faz necessário um entendimento entre o Governo do Estado, as Prefeituras, a Federação Baiana de Futebol e as equipes envolvidas, no sentido de estabelecer e cumprir os devidos protocolos de combate e proteção à pandemia que afeta todos os segmentos da sociedade brasileira.

Não há consenso, sequer, entre jogadores da dupla BA-VI, isso ficou evidenciado em entrevista concedida a um canal de TV, onde o zagueiro Mauricio Ramos que atua no Vitória, demonstrou-se favorável ao retorno imediato da competição. De modo contrário, o zagueiro Juninho, titular do Bahia desde a temporada passada, entende que o futebol pode esperar um pouco mais.

Faltando duas rodadas para o encerramento da primeira fase Bahia, Jacuipense, Bahia de Feira e Vitória estão na zona de classificação, Atlético de Alagoinhas, Juazeirense, Fluminense de Feira ainda lutam por vaga, Vitória da Conquista tem remotas chances de classificação, enquanto Doce Mel e Jacobina lutam contra o rebaixamento.