A opinião de Jota Jota
Jota Jota

O certame baiano de 2020 terá os dois jogos de volta da semifinal neste domingo 02, quando serão definidos os finalistas da temporada. Embora os resultados de ida tenham favorecido e muito os dois visitantes – em Juazeiro, o Atlético de Alagoinhas venceu a Juazeirense com uma vantagem de três gols, e o Bahia bateu o Jacuipense na casa do adversário por dois a zero – a bola ainda vai rolar por mais 90 minutos.

Apesar das vantagens conseguidas, as agremiações que perderam seus jogos virão para um chamado tudo ou nada, já que como dizem nas peladas dos bairros, perdido por um, perdido por dez, e irão sim para cima dos donos da casa. E time de futebol não é peru, para morrerem de véspera. Como diria se vivo fosse, o folclórico Vicente Matheus, “o jogo só acaba, quando termina”, e estes terão a sua parte final.

Não acreditamos que a Juazeirense possa repetir a má apresentação do Adauto Moraes, o time fora um arremedo das duas primeiras apresentações quando do retorno da competição, e Carlos Rabello deve ter cobrado e muito de seus pupilos, que no Antônio Carneiro, devem sim dificultar a vida do Carcará, porque é vencer ou vencer, tirando a diferença dos gols sofridos. Bastante difícil, mas jamais impossível.

O Jacuipense por sua vez, que vem se preparando também para a série C do brasileiro, tem que apagar as suas más apresentações, porque ao retornar da quarentena seus dois jogos foram deverás sofríveis, e o elenco não reviveu os momentos da fase de classificação antes da Pandemia, e vai enfrentar um Bahia que vem tranquilo, mas nunca acomodado.

Veremos dois bons jogos, cada um com suas motivações e objetivos distintos, e chagar a final, é o sonho de todos os envolvidos, mesmo os que sofreram revés no primeiro jogo.

#PRONTOFALEI.