Falôôô... A opinião de Jota Jota

Depois de ver o Bahia de Feira manter a liderança e a invencibilidade, na noite de quarta-feira 30, o Vitoria, que em números de pontos dividia a primeira posição com ele, vai a campo logo mais tentando também manter os seus 100% de aproveitamento, querendo chegar aos 9 pontos, quando recebe no Barradão o Jacuipense, partida marcada para as 20 horas de Salvador.

Mesmo sem ter a confiança do torcedor, pelas duas primeiras apresentações do time considerado como titular, o técnico Chamusca deve continuar buscando uma melhor formação, para dar consistência ao time titular, mantendo-se no G-4, para a fase seguinte da competição.

Em entrevistas coletivas, o professor afirma que o tempo de preparação é curto, e que seu tome vai tomar forma dentro das competições que hora disputa. Mesmo assim, o torcedor continua sem acreditar, achando que os jogadores contratados não estão à altura do rubro negro, no ano em que a meta principal é retornar à série A do brasileiro.

Neste momento, o time do Vitoria lembra bem o armado por Argel Fulks, não atuava bem, mas somava seus pontos, não permitindo que os erros existentes, pudessem ser contestados, haja vista, que a somatória dos pontos obtidos, contestava os argumentos, e assim foi, até quando a maré virou de vez.

Embora não possamos afirmar que Chamusca caminha nesta mesma formatação frente ao Jequié, será observado se o elenco evoluiu. Claro que não se espera uma mudança radical com dois ou três dias de treinamentos, mas o posicionamento do time em campo, o esquema tático, com a utilização de algumas peças, as substituições no decorrer da partida, e depois do tempo regulamentar, saberemos, como vão caminhando as coisas.

Descrente com a situação do time, e principalmente do clube, os poucos fieis torcedores, aqueles habituais 7 mil e poucos, deve ter sim a sua presença diminuída, não acreditamos que passe dos 4 mil torcedores no Barradão. E não adianta argumentar de que é na hora do aperto, que o torcedor precisa estar colado com o time. As mazelas administrativas conseguiram afastar alguns aborrecidos rubro negros. As figuras carimbadas, com chuva ou com sol, vão estar presentes, Branco Almeida, Lino Caramelo (se não estiver na Europa), Vovô Raimundo e Djalma Abreu, Assis do Bradesco, Zéca, Zé e Bel da família Pinho, Sinho do Vitoria, Luciano do Espetinho, e tantos outros, que não perdem um jogo, podendo ser o mesmo, contra a Igreja Universal, time do Edir Macedo.

Aliás, contra estes a casa estaria cheia, os fiéis da Universal, comprariam todos os ingressos, sem sombra de dúvidas. Mas brincadeiras à parte, o jogo será observado de perto, por torcedores e imprensa de um modo geral. E no futebol, o esporte caixinha de surpresas, não se pode contar resultado positivo por antecipação, é preciso esperar, para que se tenha certeza de um resultado positivo.

Em caso de triunfo, para ser líder, o Vitoria precisará aplicar uma goleada, para que nos critérios, tenha a vantagem sobre o Bahia de Feira, que hoje tem nada mais nada menos do que 6 gols de saldo e 7 gols marcados, o rubro negro, terá que superar estas marcas, porque poderá empatar em número de pontos, é aguardar para ver com dados reais, a tábua de classificação, e a performance do time de Chamusca.

#PRONTOFALEI.