O incrível balé dos treinadores

Falôôô... A opinião de Jota Jota
Jota Jota

É realmente impressionante como os clubes brasileiros mudam seus comandos técnicos. Basta um ou dois tropeços, e mesmo uma campanha vencedora, mas não convincente por parte dos cartolas, que o “professor”, recebe na hora o tal do bilhete azul (não é a caneta).

Estive dando uma olhada em um estudo feito pelo GE, que mostra a quantidade de treinadores, que foram mandados embora, e ou pediram demissão dos seus cargos. De 2003 até hoje, ´pasmem os senhores, o Athlético do Paraná, e o Fortaleza, trocaram de comando 67 vezes cada um, sendo que Furacão contratou 39 treinadores e o Leão do Pici 41, é mole?

Já neste começo de temporada, muitos clubes já acenaram com o bilhetinho para os treinadores, Duda Mel do Atlético Mineiro, foi demitido no avião de volta, onde o galo morreu Afogados, no interior de Pernambuco. Na Bahia, Roger Machado, que tem aproveitamento aceitável, quase dança, pela eliminação da Copa do brasil, onde 1.5 milhões de reais, ficaram para o River lá do Piauí.

A média de permanência de um treinador, à frente dos clubes brasileiros é de 5.9 meses, segundo o GE, o record de dias sem a queda de um “professor”, é de 70 dias, não mais do que isso.

Estou a imaginar, quando começarmos as séries do campeonato brasileiro, onde a complicação é bem maior, o que vai acontecer, e a pesquisa, fora feita em todos os campeonatos, e divisões, é um entra e sai, como nas agências do INSS.

Na última reunião de clubes na CBF, onde se vetou a venda dos mandos de campo, os clubes só podem mudar seus mandos para dentro do seu estado de origem, a pauta sobre a permanência de treinadores, cuja proposta da categoria, era de uma permanência mínima, e que fora derrotada em 2019, em 2020, nem chegou a ser discutida, passou em branco, ou seja os clubes continuarão dando Bilhetes Azuis.

Na na Bahia, não é diferente, a Juazeirense dispensou seu reinador na segunda rodada do campeonato estadual, Atlético de Alagoinhas e Jacobina, fizeram os escravos de jó, tira e põe, um foi e o outro veio, e assim vamos levando o barco.

Quem quiser dar uma olhada nesta pesquisa, cujos detalhes são mais minuciosos do que meu comentário, vá neste endereço.  https://interativos.globoesporte.globo.com/futebol/especial/rotatividade-dos-tecnicos

#PRONTOFALEI.