Sem o favoritismo de outros tempos, Bahia enfrenta Atlético na decisão do Campeonato Baiano

Por Jota Jota - Foto-capa: FBF
Jota Jota

Bahia e Atlético de Alagoinhas fazem na tarde deste sábado, no estádio de Pituaçu, a partida decisiva do Campeonato Baiano 2020. O vencedor fica com o título e, em caso de empate, o campeão será conhecido através de cobranças de pênaltis. No duelo inicial, realizado na última quarta-feira, as duas equipes empataram em 0 a 0.

Por estar devendo e muito aos seus torcedores, o Bahia poderá não ter vida fácil na segunda partida diante do Atlético de Alagoinhas, mesmo que o treinador Roger Machado venha optar pelo considerado time titular que, a exemplo do alternativo, nada tem rendido em campo, principalmente os setores de criação e ataque, haja visto as últimas partidas disputadas na Copa do Nordeste e reta final do Campeonato Baiano.

O empate no primeiro jogo mostrou que será preciso muito mais técnica, empenho, e um bom esquema tático para fugir das armadilhas que estão preparadas pelos técnicos adversários e, por mais que Roger Machado tente mudar, as peças acabam não condizendo com os seus pensamentos e desejos, e tudo esbarra em obstáculos intransponíveis, porque falta a criatividade e o individualismo que definam uma partida.

Jogo que se apresenta como complicado, e só mesmo o elenco tricolor pode mudar a prerrogativa deixada na quarta-feira quando, com um homem a mais durante mais de 65 minutos, não chegou à definição do placar a seu favor.

O Carcará de Alagoinhas vem cheio de brio, fez um bom resultado na quarta-feira ao empatar sem abertura de contagem. O resultado deixa tudo igual no tabuleiro da decisão e os dois rivais chegam à partida final sem vantagem regulamentar. O time treinado por Agnaldo Liz chegou às finais depois de quatro décadas, e junta ao seu ímpeto o desejo de conquistar um título inédito, se associando a Fluminense, Bahia de Feira e Colo Colo, times do interior que já ergueram a taça.

Não acredito em mudanças radicais no Carcará. Liz deve ter visto também os jogos dos chamados titulares do Bahia e tirado suas conclusões. É verossímil pensar que tenha treinado um bom esquema defensivo e a jogada de uma bola para surpreender o adversário. Será o amo dos Carcarás? O de Salgueiro empatou duas vezes com o tricolor Santa Cruz e venceu conquistando também um título inédito em Pernambuco, sendo o primeiro do interior a ser campeão estadual. Agora é o Carcará da Bahia, que empatou o primeiro jogo e vem com esperança de fazer história no futebol baiano.