Falôôô… A opinião da Jota Jota

Qual a diferença destas duas palavras?

Basicamente nenhuma, tendo em vista que ambas mostram a mesma roupa precisando ser higienizada, e com a máxima URGÊNCIA. Comparação mais do que pertinente para os elencos e time da dupla BA-VI, que mais uma vez, começam o ano, deixando muito a desejar, embora para muitos de seus torcedores, a coisa vai bem, e é apenas o começo de temporada, mas na prática, as coisas vão de mal a pior, principalmente quando se deixa as competições TUPINIQUINS, Campeonato Baiano e Lampions Liague, onde as participações, são mais ou menos.

E nas ruas da cidade, o que mais nos deixa incrédulos são as gozações entre as duas torcidas, que se digladiam no sentido de ver quem é o pior, isso mesmo, quem é o pior, porque as zoações, aparecem sempre quando um ou outro, é desclassificado precocemente de competição tal, não se vê uma só, quando o time é melhor, mas muito melhor, nada de dois pontos de diferença, ou 16º e o outro 17º, falo de ser melhor mesmo, de brigar para estar na página um da tábua de classificação, buscando estar na Libertadores, porque Sul-Americana, é apenas um cala boca, embora seja um atalho para Libertadores vindoura, o torcedor mais consciente, já se cansou de tanta promessa, e de passar vexames com seu clube, e a afirmativa, continua valendo para os dois escudos.

Os tricolores, bateram pra valer, quando o Moto Clube eliminou o Vitória da Copa do Brasil, e se esqueceu do remédio genérico com nome de Liverpool, isso mesmo só que do Paraguai, e ontem foi a vez do troco, as redes sociais, nem bem o jogo terminou, estavam cheias de gozações. Viu que a alegria dos dois pobres, é ver a derrota um do outro? Que não se luta para ter elencos e times melhores? Que ambas as diretorias, ainda com resquícios de amadores, montam times para apenas participarem, e não para competirem? Lembrando que nos dias de hoje, qualquer equipe pequena, com time competitivo, formado por operários da bola, complicam e muito a vida dos chamados grandes, mesmo sendo uma vez, ou outra, os grandes elencos, sempre se sobressaem contra os chamados pequenos.

É necessário que se reveja o quanto antes, a nomenclatura de TIME GRANDE, para BAHIA E VITORIA, que ainda querem sobreviver, do pouco que se conseguiu no passado, quando se teve excelentes times, uma boa base, e respeitado por todos que pisavam na boa terra. Time grande, onde o torcedor não se associa, não vive os problemas do clube, que acha soluções apenas nas redes sociais, que não contribui com nada, mas é o maioral, como mestre de obras prontas.

O novo chegou, trouxe com ele, a necessária Democracia, que deu certo administrativamente no Bahia, mas para dentro de que, ainda deixa, uma lacuna enorme para se ter um time competitivo, e um elenco que satisfaça, já no Vitoria, a mesma necessária Democracia, fora implantada a toque de caixa, e deu no clube, uma diarreia incontrolável, e tudo parece vir descendo ladeira à baixo, ou seja, estourou a barragem do bom senso, e enlameou o Barradão.

Não concordo, quando se diz ter que deixar a VELHA GUARDA de lado, sem nem querer ouvi-los, aproveitando a experiência, e sabedoria, de quem administrou o futebol, quando não se tinha, o rio de dinheiro, que hoje as TVs despejam nos clubes, que as arrecadações, eram a vaca leiteira, nunca se imaginava ter patrocinadores, Bahia e Vitoria, chegaram bem longe, conquistaram o respeito e a admiração dos demais clubes do Brasil, com a participação dos seus CARDEAIS, que também erraram e muito, foram parar na série C, ficaram sim sem dinheiro, mas tinham times competitivos, e encontravam soluções, falo principalmente do Vitoria, onde os novos se acham, e quebraram o clube, diferente do novo planejado do Bahia, que ganhou dinheiro, mas não atirou pela janela, mas também não montou time.

Se com dinheiro não monta, quem dera com os cofres totalmente vazios. Então nas rodas de bate papos, onde se tem o BA-VI dos argumentos, e das cobranças, fica o SUJO, falando do MAL LAVADO, isso porque quando se fala de objetivos, onde vai a cacimba, a corda vai atrás, guardadas as devidas proporções, no que tange as séries do certame brasileiro, série B e A, ambos os elencos são fracos, e as diretorias, terão que contratar, caso contrário, o torcedor vai continuar sofrendo do coração na temporada.

Sujo ou Mal Lavado, é colocar no tanque, e lavar na mão grande, buscando as manchas, e olhem, o tempo está passando, e daqui a pouco, fim de todos os certames, e o que se conquistou? Então, está mais do que na hora, do torcedor participar da vida do clube, primeiro se associando, buscando um plano que caiba no seu orçamento, e agir com suas ideias e opiniões, com direito adquirido, seu voto é a única força verdadeira dentro da agremiação, e seu grito depois de ser sócio, vai ecoar muito mais alto.

PENSEM NISSO.

#PRONTOFALEI.