Os 25 anos do Juazeiro Social Clube

Por Tony Martins

Num dia 16 de agosto como hoje, era até domingo, tarde de sol quente e um forte apelo popular, afinal de contas, pela primeira vez, a cidade de Juazeiro receberia uma partida entre duas equipes profissionais em um campeonato profissional. Eu e Marcos Bastos éramos os narradores da Rádio Juazeiro, cuja equipe era coordenada por Geraldo José. Naquela data, 16 de agosto de 1995, o Juazeiro Social Clube estreou profissionalmente. Marcos Bastos narrou o primeiro tempo que terminou zero a zero. Narrei o segundo tempo daquela partida diante do Estrela de março e tive a felicidade de ser o narrador que dos três primeiros gols da história do clube, marcados por Hailton nos 3 a 0 contra o Estrela de Março no estádio Adauto Morais.

Depois daquele dia acompanhei grandes feitos do Juazeiro, a exemplo do título baiano da segunda divisão do Campeonato Baiano em 1996, fazendo a cidade parar para festejar nas ruas o acesso à primeira divisão.

Vi esse clube revelar Daniel Alves, um menino do Salitre que se tornou o maior lateral direito do mundo. Vi também a equipe derrotar numa mesma temporada as maiores equipes do Nordeste: Bahia, Vitória, Campinense, Treze de Campina Grande, Sergipe, Confiança e Santa Cruz. Vibrei quando o Juazeiro em 1998, numa atuação fantástica, golear o Vitória por três zero.

Com um elenco formidável cedeu vários jogadores ao glorioso Esporte Clube Bahia: Mica (in memoriam), Abimael, Nixon, Janílson, Alan, Vagner, Marcelinho e Daniel Alves, entre outros. Sofri terrivelmente duas vezes, na perda do título estadual em 2001 e nos dois rebaixamentos. Infelizmente, nesse 16 de agosto, quando o Juazeiro Social Clube completa 25 anos, temos apenas lembranças já remotas, diante de uma inerte realidade, pois a inatividade e a falta de perspectiva não precipitam um futuro.