Por Tony Martins

Nenhum habitante de Três Corações, no interior de Minas Gerais, poderia imaginar que em 23 de outubro de 1940, nasceria naquela pacata cidade, o maior jogador do planeta e uma das personalidades mais conhecidas do mundo.

Refiro-me a Edson Arantes do Nascimento, o inigualável PELÉ, para ser escrito em letras garrafais, como forma de destacar o único jogador que conquistou três Copas do Mundo: 1958/1962/1970, títulos que se juntam aos 10 paulistas pelo Santos, sendo  o primeiro em 1958 e o último em 1973, além de um pelo Cosmos dos Estados Unidos em 1977.

Ninguém marcou tantos gols como ele: 1282, sendo 1091 pelo Santos, 95 pela seleção brasileira e 32 marcados quando defendeu a seleção paulista e combinados.

Não podemos fazer comparações técnicas dos diferentes períodos do futebol, pois as evoluções técnico-táticas e as novas tecnologias aplicadas ao esporte, não nos permite fazê-las. Contudo, em qualquer situação ou período da prática futebolística, os números alcançados por Pelé fazem dele o Rei do Futebol.

Aproveitando o dia em que Pelé completa 80 anos, quero fazer uma homenagem a cinco ex-jogadores que estiveram ao lado do Rei na conquista do primeiro título mundial brasileiro em 1958 na Suécia e que ainda estão vivos: Mazola que depois se naturalizou italiano, Moacir que mora no Equador, Pepe, Dino Sani e Zagalo.

Por fim, nossa homenagem ao maior jogador do mundo, que tive o prazer de vê-lo jogar no emblemático estádio do Pacaembu, em1986, quando a seleção brasileira de Master enfrentou a Itália. Tive esse prazer.