Texto: Maria Akemi - Foto: Carlos Humbertos/Agência CH

Na última sexta-feira (14) nós batemos um papo honesto com o William Lima, treinador do Petrolina na fase final do Campeonato Pernambucano. William assumiu a “bomba relógio” na 9ª rodada da Fase de Grupos e encarou a disputa contra o rebaixamento. Responsável por levar a Ferinha a sua primeira Copa São Paulo de Futebol Júnior, o treinador e seu grupo carregarão o estigma da “Fera Rebaixada” em 2020.

Números da Fera no estadual (Foto: Elas e os Esportes)

Mas antes de trazermos a conversa com William precisamos contextualizar a situação. Foram 9 jogos na Fase de Grupos: ele comandou apenas um. Teve apenas dois dias para treinar a equipe formada para a fase final e continuou a caminhada no Quadrangular do Rebaixamento (3 jogos).

Os números falam por si. Ou seja, a culpa não pode cair apenas na costa de uma pessoa comandando o time ou dos atletas da região. “O que começa errado termina errado”…