Ascom/CSTT

A Prefeitura de Juazeiro estendeu, excepcionalmente por um ano, o prazo para circulação de motocicletas fabricadas em 2014, utilizadas para o serviço de mototaxi e motoentrega no município. O decreto considerou a crise econômica em decorrência do novo coronavírus, e autoriza a vistoria e utilização dessa frota de veículos neste ano. A demanda é uma reivindicação da categoria, que foi apresentada a Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) do município.

De acordo com a legislação vigente, o tempo de uso de motocicletas utilizadas para os serviços de mototaxi e motoentrega é de sete anos, logo, veículos fabricados em 2014 não poderiam circular por terem ultrapassado esse limite. A gestão da CSTT, mais uma vez, ouviu a categoria e atendeu a essa solicitação, considerando os impactos econômicos proporcionados pela pandemia.

“Esses profissionais precisariam adquirir uma moto nova para continuar trabalhando, mas nós estamos cientes dos prejuízos financeiros ocasionados pela pandemia. Com esse decreto, as motocicletas dessa frota passam a ter direito às vistorias e podem ter seus alvarás liberados, sem prejuízos ao transporte alternativo do município”, explicou o diretor-presidente da CSTT, Tenório Filho.

A categoria, por sua vez, comemorou mais uma conquista. “Essa medida representa muito para a categoria, pois até a compra de motos foi dificultada pela pandemia, temos que aguardar entre 60 e 90 dias para chegar uma moto nas concessionárias”, destacou o secretário da Associação dos Mototaxistas de Juazeiro (AMJ), Jair Moraes.

Brena Souza – Assessora de Imprensa da CSTT