ASCOM AMA/PMJ

Atendendo aos princípios da inclusão social e da promoção da acessibilidade, a Prefeitura de Juazeiro, através da Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA), reestruturou o Camelódromo 2 de Julho para facilitar o acesso livre a pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida.

Foram colocadas, em todas as quatro entradas do local, rampas bem-sinalizadas de acesso a cadeirantes. Além disso, na área interna, todos os corredores das 12 alas de serviço foram demarcados com o espaço adequado à circulação de quem tem dificuldade de mobilizar-se, reservando o espaço adequado à passagem de cadeiras.

Em todo setor da praça de alimentação, rampas foram feitas, pintadas com clara sinalização. E para garantir espaço amplo acessível a todos os clientes pedestres e cadeirantes no que se pode chamar de ‘ponto convergente do Camelódromo’, houve total reordenamento, reduzindo o número de freezers nos corredores, além de recolhida e guardada, em local adequado, a grande quantidade de grades de refrigerantes e cervejas que ficavam no espaço de transeuntes.

Além disso, para deixar o espaço mais harmônico e amplo para a acessibilidade, organizaram-se mesas e cadeiras no centro do ambiente, com 4 rampas de acesso, criando-se uma praça de alimentação agradável, limpa e arejada.

De acordo com a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em média, 20% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. Na Bahia, esse índice chega 23%, razão pela qual as cidades devem avançar em inclusão.

“Todo esse trabalho de colocar em prática o plano de acessibilidade foi realizado com inteiro apoio da prefeita Suzana Ramos, com o diálogo aberto com os permissionários dos 310 boxes e com o trabalho de uma equipe que tem se mostrado empenhada em melhorar a vida dos permissionários de feiras e mercados de Juazeiro e de toda sua população”, enfatizou o gestor da AMA, Britoaldo Alves Bessa.

Para o superintendente de Feiras, Mercados e Camelódromo, José Carlos Medeiros, a prefeitura está promovendo dignidade. “O direito a acessibilidade é um meio de garantir que as pessoas com deficiências ou com mobilidade reduzida possam desfrutar do direito de circularem e se utilizarem dos espaços de forma plena e livre de barreiras. É isso que a prefeitura está promovendo e é isso que nos orgulha, pois é um direito fundamental”, destaca Medeiros.