Quadrilha Junina Buscapé é tricampeã no Concurso de Quadrilhas Juninas de Juazeiro

Por Ramáiana Leal/ SECULTE

Pela terceira vez consecutiva a quadrilha junina ‘Buscapé’ vence o Concurso de Quadrilhas Juninas da Prefeitura Municipal de Juazeiro, que é realizado através da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes. A segunda colocada foi a quadrilha ‘Danado de Bom’ da cidade de Petrolina, e a terceira colocada foi ‘Explode Coração’. O prêmio de melhor rainha ficou com o grupo Danado de Bom e melhor marcador com o grupo Buscapé. O concurso aconteceu na quadra da Escola Paulo VI, na noite do último sábado.

O público de cerca de mil pessoas – formado por homens, mulheres, jovens, adultos e crianças, lotou a quadra do Paulo VI. Dentre eles estava a professora de dança Janaína Oliusa, que fez questão de parabenizar a iniciativa do concurso. “Isso aqui é de uma importância fundamental para a continuação de uma tradição cultural. A Prefeitura está de parabéns pela realização e os grupos que se apresentaram também. Foi um lindo evento”, disse.

A mesa julgadora foi composta por três jurados ligados à dança: Joaquim Dantas da Silva, Antônio Carvalho da Rocha e Katherine Peixoto Soares. A avaliação ocorreu de acordo com o edital, cujos critérios eram Evolução, Figurino, Animação, Coreografia, Harmonia, Marcador, Repertório Musical e Rainha.

De acordo com esses critérios citados, a comissão pontuou a Junina Buscapé com 239,2 pontos e a Junina Danado de Bom com 239. “A Buscapé venceu por dois décimos de diferença. Nós entendemos que não deve ter sido fácil para a banca julgadora dar as notas. Os grupos todos fizeram belas apresentações, com coreografias bem ensaiadas, figurinos impecáveis. Nós agradecemos a participação dos jurados, eles foram precisos.”, afirma o Gerente de Cultura, Ramon Raniere.

A presidente da quadrilha junina Buscapé, Zenaide Diogo, disse estar muito feliz com o resultado do concurso. “Participar do concurso de quadrilhas de Juazeiro é muito importante. Ficamos muito felizes com o resultado, principalmente ganhando dentro de casa. Começamos os ensaios em dezembro do ano passado e pensamos no tema do Candomblé e o que passamos dentro da comunidade. O Quidé é uma comunidade 90% voltada para religiões de matrizes africanas e sofremos muito preconceito. Então quisemos levar o tema para o arraiá. Em vários momentos falamos da questão do racismo, do preconceito com as religiões. Montamos o espetáculo para chamar atenção das pessoas a refletir sobre o assunto”, disse.

O concurso premiou em R$ 6 mil a primeira colocada, R$ 4 mil a segunda e R$ 2 mil a terceira colocada. Melhor rainha e melhor marcador receberam R$600 cada.