Falôôô... A opinião de Jota Jota

Ainda estou incrédulo com o que fizeram com a Desportiva Juazeirense, eliminando-a da Copa do Brasil em detrimento ao Vasco da Gama, time de nome, e mais do que isso, do Rio de Janeiro, cidade Maravilhosa e onde fica instalada a MADRASTA do futebol brasileiro a famigerada C.B.F., que só tem olhos, para os grandes, que lhes rendem dividendos.

O que o SOPRADOR DE APITOS, encomendado do Paraná, de sobrenome TRACI, assinalou contra o Cancão de Fogo, não tem outras formas de ser explicitada, “favorecimento”, “roubo”, “determinação”, e outros adjetivos mais pesados, que a minha educação, me impede de postar nesta minha coluna, a não ser “uma vergonha, para o departamento de árbitros da Madrasta”, e nem me venham com o fato de que o Vasco fora merecedor da classificação, com péssimo gramado, ou outra desculpa dada por eles, tomaram um banho de bola  no segundo tempo, e o Gustavo(que não é o meu filho) mas sim o Balotelli, complicou o coreto dos cariocas.

O Sr. Traci, não poderia decepcionar os vascaínos que estavam no Adautão, mas tirou o queimado da boca de uma cidade e região inteira, ao marcar o pênalti inexistente, que só ele viu, e que a central do apito do canal fechado, também afirmou não ter acontecido.

Ao final do jogo, ao ver a diretoria da Juazeirense inconformada, e partir para cima do SOPRADOR DE APITO, me vi no lugar do filho do presidente o Andinho, por ocasião da Juazeiro e Fluminense, quando um apitador do Ednaldo Rodrigues, quis empenar o resultado ainda no primeiro tempo, eu era assessor da diretoria do clube, que tinha como presidente Carlos Humberto e diretor o saudoso Jailson das Tintas, com dengue e tudo, até de forma irresponsável, invadi o campo no intervalo, e dei uma prensa no moço, “OU APITA DIREITO O SEGUNDO TEMPO, OU VOU ABRIR OS PORTÕES DE ACESSO AO GRAMADO”.

Sei isso não se pode e nem se deve fazer, mas voltou apitando certinho, e o Juazeiro venceu o Touro na bola, e foi às finais do baiano. Pena que o Sr. Traci, só meteu a mão no Cancão, ao apagar das luzes, quando nada mais poderia ser feito, tal como agora nada se tem a fazer, e podem olhar a súmula, ele vai carregar na mesma, o resultado é confirmado, e mesmo estando na CBF, Ednaldo Rodrigues, permanece não sendo representante do futebol baiano.

E agora, quem vai pagar os prejuízos da Juazeirense, porque a classificação para a fase seguinte, daria ao time de Juazeiro, a pequena bagatela de 1 milhão de reais, soma que ajudaria e muito a agremiação, no restante do ano. Mas ainda somos pequenos, e sem representatividade.

#PRONTOFALEI.