Sugestão do Programa Mensageiro Rural

Importância Nutricional da Erva-Doce

A erva-doce é excelente para ajudar a fortalecer o sistema imunológico, pois contém quantidades significativas de um aminoácido chamado alanina, antioxidantes e vitamina C. Assim, ela é recomendada para fornecer energia e aumentar as defesas do organismo. A erva-doce alivia as dores de cabeça e aumenta a vitalidade e dinamismo das pessoas cansadas. Seu óleo regula o ciclo menstrual. Possui propriedades anti-inflamatórias, ajuda a reduzir as inflamações e rejuvenescendo a pele.   Em forma de chá, ela tem sido utilizada como uma erva medicinal, pois serve para tratar dor de barriga, indigestão, inchaço, acidez estomacal, asma, bronquite, espasmos, cólicas, dor de barriga, dor de cabeça, inflamações, tosse, gases, palpitações, inchaço, gripe, resfriado, catarro e coriza.

Receita de Chá de Erva-Doce

Colocar 1 colher de erva-doce em uma xícara e cobrir com água fervente. Deixar esfriar, coar e beber a seguir. De 2 a 3 vezes ao dia após as refeições.

Na cozinha, a erva-doce pode ser usada de diversas maneiras:   O bulbo ou batata: fica delicioso com as saladas verdes.   O caule: se descascados e cozidos como aspargos podem ser comidos, e é realmente delicioso. As folhas: cortadas elas podem ser usadas como ervas aromáticas. As sementes secas e moídas, as são usadas como temperos.​

Apesar de muitos benefícios o consumo de erva-doce pode trazer efeitos colaterais da erva-doce, como  náuseas, vômitos e reações alérgicas, quando consumido em excesso. A erva-doce está contraindicada em pacientes com úlcera duodenal, refluxo, colite ulcerosa ou diverticulite, devendo também ser evitado por pacientes fazendo suplementação de ferro. O óleo de erva-doce está contraindicado na gravidez e amamentação.