Receita do Programa Mensageiro Rural

Importância Nutricional do Oití

Foto: Gustavo Giacon

O Oití (Licania tomentosa), pertence à família Chrysobalanacea. Ocorre em outras regiões tropicais do mundo, com maior diversidade na região amazônica. O Oití é nativo do Piauí à Bahia, sendo muito utilizado em arborização. O uso é voltado para o preparo de bolos, farofas, doces e pudins, sendo considerado uma planta alimentícia não convencional (panc). O fruto do oitizeiro é comestível, nutritivo, de sabor doce e adstringente, que lembra a manga. Ele deve ser consumido maduro, deixando-se descansar por pelo menos 3 a 4 dias após a colheita. O mais comum é consumi-lo in natura, mas também presta-se para o preparo de deliciosas vitaminas com leite. Tem efeito levemente laxativo.

Receita de Doce de Oití

Ingredientes
200 ml de água
200 gr de açúcar
01 Kg de polpa de Oití

Modo de Preparo

Depois de colhidos, deixe os frutos descansar por 3 a 4 dias. É bom que estejam madurinhos, enrugadinhos. Eles têm sabor travado, você não consegue consumí-los direto do pé, ele tem sabor travado. Com a casca lisa, não use, deixe descansar mais. Separe os frutos com casca engelhada com a polpa macia. Lave em água corrente. Tire toda a polpa do fruto do oití junto com a casca usando uma faca de serra. Ligue o fogo, coloque em uma panela a água, o açúcar e a polpa, misturando bem. Deixe cozinhar até que o caldo fique grosso. Só desligue o fogo, quando começar a dar uma secada. Deixe esfriar um pouquinho para poder servir. O doce da polpa do oití lembra muito o doce de caju. Como acompanhamento, recomendamos bolacha ou pão, torradinho.