Reviravolta: Conmebol pressiona e Flamengo e Barcelona está mantido após divergências entre autoridades sanitárias

Comitê de Operações de Emergência de Guayaquil não queria a realização da partida, mas prefeita anuncia que vai seguir recomendação do Ministério da Saúde. Conmebol pressionou

Crédito: O Globo

Estádio Monumental de Guayaquil (Foto: Divulgação)

Barcelona e Flamengo, ao fim das contas, vão se enfrentar pela Libertadores no Estádio Monumental de Guaiaquil, nesta terça-feira, às 19h15. Autoridades de saúde do Equador chegaram a anunciar o envio de uma carta à Conmebol informando que o local estava “inabilitado”. Além disso, recomendaram que a delegação rubro-negra retornasse ao Brasil. Minutos depois, a decisão foi revista.

O hotel do Flamengo recebeu funcionários locais e uma coletiva foi feita no início da tarde para dizer que o estádio estava indisponível. Mas a prefeita de Guaiaquil, Cyinthia Viteri, se pronunciou no Twitter informando que não havia interdição e que o Ministério da Saúde seria a voz final. A Conmebol não se pronunciou publicamente, mas agiu nos bastidores para manter a partida. O Flamengo também acionou autoridades brasileiras. Toda a pressão surtiu efeito e os órgãos equatorianos recuaram.

A discussão não envolveu diretamente a CBF, que se distanciou da negociação envolvendo Conmebol e as autoridades equatorianas. Ao mesmo tempo, os dirigentes do Flamengo fizeram contatos com a entidade brasileira para atualizar as informações recebidas no Equador.

“Estamos à espera do pronunciamento do Ministro da Saúde para que se estabeleça se acontecerá ou não a partida. Seguiremos o protocolo que o Ministério nos assinalar”, disse a prefeita, depois de o Comitê de Operações de Emergência Local recomendar a interdição. No Twitter da Prefeitura, documentou confirmou a conduta.

Os casos de Covid-19 chamaram atenção das autoridades, que enviaram uma comitiva ao hotel em que o Flamengo está concentrado. Foi lá que ocorreu a coletiva na qual foi comunicada a posição inicial de inutilização do estádio.

— Hoje, o estádio Monumental está inabilitado. Ao menos neste estádio hoje não haverá jogo de futebol entre Barcelona e Flamengo. Enviamos uma carta para a Conmebol — declarou Carlos Luis Salvador, diretor do Município de Guayaquil.

A decisão coube ao Comitê de Operações de Emergência Local (COE Contonal), mas o COE Nacional, que está acima, disse que não concordaria com a suspensão da partida. Para o órgão, que também concedeu entrevista, a recomendação é que se cumpra o protocolo de segurança previamente aprovado e se isolem os casos positivos de Covid-19 no Flamengo.

Nos bastidores do Flamengo, havia temor de que o adiamento abrisse precedente para uma possível paralisação da Libertadores, e até do Campeonato Brasileiro, já que a competição sul-americana tem preferências de datas. E elas são escassas, o que obrigaria a empurrar o calendário para frente em 2021.

Ao todo, sete jogadores do Flamengo e dois membros da comissão técnica testaram positivo para Covid-19. São eles: Bruno Henrique, Isla, Diego, Filipe Luís, Michael, Matheuzinho, Vitinho, o médico Marcio Tannure e o auxiliar Juan.

As autoridades se organizavam para refazer testes em toda a delegação rubro-negra antes dela deixar o país.

Antes da reviravolta, o vice de futebol do Flamengo, Marcos Braz, afirmou que esperava apenas um comunicado oficial da Conmebol, mas já estava informado pelas autoridades locais sobre o adiamento da partida.

— O jogo está suspenso. O Flamengo respeita e vai para casa. Não sei se é correto ou não, a gente respeita as autoridades. O que a gente pede é receber o documento oficial da Conmebol. O Flamengo recebeu todos os protocolos da Conmebol — declarou o dirigente, que ponderou em seguida:

— O Flamengo não toma decisão nenhuma, o Flamengo está escutando a decisão que foi tomada pelas autoridades locais e o Flamengo é cumpridor das solicitações. As autoridades locais disseram que o estádio não está apto para receber partidas de futebol e respeitamos isso. Estamos esperando apenas um comunicado oficial da Conmebol. O Flamengo estava em uma reunião com 100 pessoas e foi dito pela autoridade do Equador que o jogo está suspenso. O Flamengo respeita e agora vai pra casa.

A discussão toda no hotel ocorreu pouco depois de o clube conseguir liberar o avião que vinha do Brasil com quatro atletas para reforçar o banco de reservas. O zagueiro Natan, o lateral João Lucas e os atacantes Guilherme Bala e Rodrigo Muniz embarcaram de Manaus depois de retornarem à cidade pois o Peru não liberou a entrada no seu espaço aéreo. A aeronave já aterrissou no Equador.