Estádio será palco da segunda partida entre Juazeirense e Santos, pela fase de oitavas de final da Copa do Brasil

Por Carlos Humberto - Texto e fotos
Sérgio Fernandes, secretário municipal

O público amante do futebol do Vale do São Francisco vive a expectativa do esperado confronto entre a Desportiva Juazeirense e o Santos Futebol Clube, embate marcado para esta quinta-feira, às 19 horas, no Estádio Adauto Moraes. Entre eles, Sérgio Fernandes, secretário de Cultura, Turismo e Esportes da Prefeitura Municipal de Juazeiro, responsável pelo equipamento esportivo mais importante da cidade.

Na manhã desta quarta-feira, enquanto fiscalizava atentamente os operários que dão os últimos retoques nas dependências do estádio para receber o ilustre visitante, Serginho, como é conhecido, conversou com a imprensa que, atraída pela presença do time da Vila Belmiro no campo, cumpre pauta na manhã desta quarta-feira fora das redações.

Nesse clima, o secretário falou ao Agência CH, e reconheceu as carências do equipamento, que sofrem repetidas críticas nos meios de comunicação e entre os torcedores, e revelou que o município já tem projetos para dotar o estádio de uma nova iluminação e um novo gramado.

Confira os principais tópicos do bate-papo:

Agência CH – Como você analisa a presença do Santos, bicampeão mundial, em Juazeiro?

Sérgio Fernandes – Estamos vivendo um momento histórico, com a presença do time de Pelé no Adauto Moraes e isso me deixa feliz como secretário e, principalmente, como amante do futebol.

ACH – Nesses dias, a cidade de Juazeiro ganha repercussão nacional, tendo o futebol como pano de fundo. Isso o surpreende?

SF – De forma nenhuma. O futebol atrai multidões e, sem sombra de dúvida, com todo respeito a João Gilberto, Ivete Sangalo, Daniel Alves e Petros, o futebol, representado pela Juazeirense, no momento é o maior patrimônio cultural da cidade, e atrai o interesse da grande mídia de forma natural e espontânea. A exposição que a cidade ganha tem um valor imensurável.

ACH – Secretário, enquanto o futebol de Juazeiro ganha força a cada ano a passos acelerados, como praça esportiva o Estádio Adauto Moraes não acompanha na mesma velocidade as necessidades básicas para a prática do jogo de futebol. Como você analisa esse descompasso?

SF – Concordo que temos carências, principalmente o gramado e a iluminação. Mas em vista de outros campos da mesma categoria, o nosso apresenta acomodações bem próximas do ideal. Boas arquibancadas, cabines para a imprensa com internet e ar-condicionado, banheiros limpos e vestiários climatizados para os jogadores, além de bom acesso e segurança para o público. Também sei que o município tem prioridades para ontem, tipo o combate à pandemia, no setor de saúde, na educação, infraestrutura e segurança, para citar algumas. Por isso, as coisas precisam de tempo para acontecer e a prefeita Suzana está atenta às necessidades do esporte como um todo.

ACH – Isso quer dizer que existem projetos para mais uma reforma no Adauto Moraes?

SF – Sim, os projetos existem e estão cumprindo os passos burocráticos para sair do papel. A empresa que fez a última reforma no piso em 2016, já foi acionada para apresentar um estudo completo, e o processo para uma nova iluminação já está bem adiantado, à espera do pregão para escolha da empresa executora.