Falôôô... A opinião do Jota Jota
Jota Jota

Flamengo e Bahia fizeram na noite de domingo uma partida com todos os ingredientes que prenderam o telespectador na frente do televisor. Nos 45 minutos mais os acréscimos, foram sete belos gols, com triunfo do Flamengo por 4 a 3 em reviravoltas clássicas no marcador, com expulsões por ofensas ao árbitro, muita confusão entre os jogadores, e uma acusação por racismo, feita pelo meia Gerson do Flamengo, contra o bom jogador do Bahia, o Índio Ramirez, o que vai render muito durante a semana.

Voltando à bola rolando, o Bahia no primeiro tempo, mesmo com a expulsão de Gabi Gol, aos nove minutos, permitiu ao Flamengo fazer dois a zero, não fazendo o torcedor tricolor acreditar no que observava. Seu time lento e moroso, perdia para um time com apenas 10 homens em campo. Rápido e envolvente, o Flamengo aproveitou a morosidade da defesa tricolor para se impor no Maracanã.

Lance de Flamengo x Bahia no Maracanã (Foto: Vitor Tamar/ECB)

No intervalo de jogo, o treinador Mano Menezes realizou mudanças, fazendo com que o Bahia chegasse ao empate, e virando o marcador para 3 a 2, com um futebol totalmente diferente do primeiro tempo. Mas, de novo senhores, a equipe sofreu um apagão, Mano mexeu e os substitutos não estiveram ao alcance dos substituídos. Com os brios feridos, o Flamengo partiu para cima, o Bahia apresentou seus costumeiros defeitos, e levou a reviravolta.

Apesar de todas as confusões e das acusações de racismo feitas de Gerson para Índio Ramires, tira-se o chapéu para estes dois atletas de meio campo. Flamengo e Bahia, estão bem servidos, ambos foram os donos do espetáculo. Mas, se a acusação de racismo for real, faz-se a necessidade de uma apuração mais rígida por parte da CBF.

O resultado foi muito ruim para o time da Boa Terra, que agora tem o mesmo número de pontos que o Vasco da Gama, e está fora da zona pelos critérios de desempate. A partir de agora, ainda mais a situação tricolor é caótica, com a necessidade de somar pontos, dentro e fora de casa. O problema é que, infelizmente, o elenco que Mano Menezes tem nas mãos não inspira confiança.

Durante o jogo, os comentaristas da TV fechada levantaram a lebre de que o Flamengo vem questionando a CBF por escalar árbitros paulistas para os seus jogos, já que disputam o título, tendo o São Paulo como líder. Eu acho engraçado tais afirmações, já que a CBF fica no Rio de Janeiro, é ou não uma incoerência? E para o colunista, a arbitragem fora correta na partida, não diria impecável, porque ninguém é perfeito, mas não interferiu no placar.

Não consigo achar as respostas, se alguém puder me informar, e ou mesmo esclarecer, vou ficar muito grato. Como pode uma equipe de futebol ter momentos de altos e baixos, dentro da mesma partida, proporcionando a perda seguidas de pontos, e não conseguindo se sustentar com boa, e equilibradas atuações, alguém tem a resposta?

A vida não para, e com duas rodadas para a pausa das festas de fim de ano, com isolamentos e distanciamento social, será bom que o Bahia se espelhe nas recomendações da Organização Mundial de Saúde. Some pontos, para que mantenhas o DISTANCIAMENTO SOCIAL da ZONA DE REBAIXAMENTO.

#PRONTOFALEI.

(O texto é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Agência CH)