Tite antecipa Weverton e Douglas Luiz como titulares e projeta Brasil x Bolívia

Ascom/CBF

Na véspera da estreia, técnico da Seleção Brasileira revela decisões no time titular e analisa início das Eliminatórias.

Tite durante coletiva (foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O Brasil está definido para a estreia nas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022. Ou quase isso. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (8), o técnico Tite antecipou parte da escalação da Seleção Brasileira para o duelo com a Bolívia, na sexta, na Neo Química Arena. O treinador garantiu Weverton e Douglas Luiz como titulares.

Novidade no time, Douglas disputava uma vaga no meio-campo com Bruno Guimarães, segundo o próprio treinador. O meia do Aston Villa levou a melhor e deve começar a partida desta sexta atuando mais pelo lado esquerdo. Tite explicou a decisão:

“O nosso lado esquerdo é que vai dar liberdade maior para o lateral, onde vai ter o atacante que também tem essa função. Ele vai fazer articulação, um jogador que abastece esses homens de frente e que seja como reboteiro. Ele tem valências técnicas, ele bate bem na bola de média distância, é um jogador competitivo”, constatou.

A análise foi complementada por César Sampaio, auxiliar técnico da Seleção, que frisou a necessidade de obter um equilíbrio maior entre os setores da equipe.

“Harmonizar os setores, a gente entende que o lado onde nós damos mais amplitude com o lateral. Essa organização ofensiva sustentada te dá um equilíbrio maior. É um jogador que fez por onde, mereceu essa oportunidade. TIve a oportunidade de acompanhar in loco e em treinamentos e a expectativa é muito boa”, analisou.

Campeão olímpico, Weverton ganhará uma oportunidade no gol da Seleção Brasileira. O posto, que costuma ser de Alisson, ficou vago após a lesão do goleiro. E foi concedido ao goleiro do Palmeiras, como fruto de um trabalho intenso, principalmente nos últimos meses.

“São três grandes goleiros. A campanha toda do Weverton, fazendo mais de 20 jogos em uma sequência de retomada em alto nível, o credenciou nesse momento a ser o goleiro”, afirmou Tite.

Uma das dúvidas do Brasil para a partida é Neymar. O camisa 10 ainda trata lesão na lombar e, caso não possa jogar, deve ceder a vaga a Everton Ribeiro. O médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, descreveu o atual status clínico do atacante.

“Ontem, ele não conseguiu treinar, relatou dores na região lombar, sem trauma. Durante o aquecimento ele foi avaliado e retirado do treino. Ele teve uma pequena melhora de ontem para hoje. Mas não temos nem 24 horas da dor mais intensa. É importante relembrar que tivemos um deslocamento com ônibus, avião, isso tudo dificultou um pouco o tratamento. Ele vai ficar no hotel fazendo um trabalho intensivo e vamos aguardar a resposta dele para que possamos amanhã passar uma posição mais definitiva para o Tite”.

Após conduzir o Brasil à sua melhor campanha na história das Eliminatórias da Copa do Mundo, Tite frisou paciência com o trabalho estabelecido para a caminhada rumo ao Catar. O início deste ciclo, que envolve renovação, busca por consistência e desempenho, será um processo longo, já que nem sempre é possível encontrar o melhor futebol de um time já nas primeiras partidas. Perguntado se espera um encaixe tão rápido neste novo ciclo como quando assumiu o time, o técnico ressaltou que algumas adversidades são naturais neste processo.

“Quando você inicia um trabalho e logo em seguida ele cresce e se consolida tão rápido quanto nas Eliminatórias (para 2018), é a exceção à regra. Não é assim que as coisas funcionam. As coisas funcionam, no futebol, tal qual em outra atividade, com construção, maturidade, lançamento de jovens, manutenção de experientes, metas, competição leal. Tomara que a gente tenha essa felicidade (agora), mas não é o real”, reforçou.