Vitória: Além da queda, um olé na Copa do Brasil

0
101
Nova Iguacu x Vitoria Copa do Brasil Foto Mateus Sanches-Divulgação
Da Redação – Jota Jota / Foto: Mateus Sanches

A Copa do Brasil começou e terminou para o Vitória na tarde desta quarta-feira, 1º de março, quando foi ao Rio de Janeiro e pela vez primeira na história do futebol enfrentou o Nova Iguaçu, que pela terceira vez participa da competição, sendo eliminado pelo placar de dois a zero.

A partida foi realizada no estádio Jânio Moraes, conhecido como O Laranjão, com o time baiano jogando pelo empate, o que conseguiu manter apenas no primeiro tempo com uma atuação pífia.

No segundo tempo nada se viu do time treinado por Léo Condé, enquanto o Nova Iguaçu cresceu dentro do jogo dominou a partida e chegou aos dois gols que lhe deram a classificação e mais 900 mil reais para se somar aos 750 mil da cota de participação.

Léo Índio cobrando pênalti fez um a zero aos 24 da etapa final, para Márcio fechar o marcador aos 38, quando se pode observar um time de série B levar olé de outro sem série. Para afirmar o que foi o jogo, o time de Condé deu três chutes a gol, contra 28 do Nova Iguaçu.

CURIOSIDADES

Foi a primeira vez que o Nova Iguaçu e o Vitória se enfrentaram, o time do Rio de janeiro jogando a sua terceira Copa do Brasil, e o Vitória a sua 34ª se igualando ao Atlético Mineiro.

O meio campista Paulo Henrique do Nova Iguaçu, está há 14 temporadas defendendo a agremiação carioca, enquanto o Vitória vem de três a seis temporada cultivando resultados negativos.

FICHA TÉCNICA

Nova Iguaçu 2×0 Vitória

Copa do Brasil – 1ª fase

Local: O Laranjão, em Nova Iguaçu (RJ)

Data: 01/03/2023 (quarta-feira)

Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO)

Assistentes: Leone Carvalho Rocha (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)

Gols: Léo Índio e Márcio (Nova Iguaçu)

Nova Iguaçu: Max; Michel, Bruninho (Márcio), Diego Bolt e Gabriel Pinheiro; Léo Índio, Paulo Henrique (Gustavo Nicola), Andrey e Ícaro (Breno); Léo Bala e Luã Lúcio (Ewerton). Técnico: Carlos Vitor.

Vitória: Lucas Arcanjo; Zeca, Dankler, Camutanga e Guilherme Lazaroni Raylan); Léo Gomes, Eduardo e Gegê (Diego Torres); Thiago Lopes (Wellington Nem), Léo Gamalho (Trelles) e Rafinha (Osvaldo). Técnico: Léo Condé.