Vitoria: Um empate de bom tamanho com o vice líder da Série B

Por Jota Jota - Foto/capa: Márcio Cunha/AFC/Divulgação
Jota Jota

Não, mas não mesmo que o Vitoria tenha sido em campo um time com outra cara, e que Eduardo Barrocas, achou o time ideal, ou que o triunfo só não veio por capricho. Sim esta é a visão do torcedor sofrido, que em cada partida enxergava um time apático, sem vontade e nenhum poder de reação.

No primeiro tempo, o time ainda demorou de encaixar, para jogar no mesmo patamar que a Chapecoense, e saiu de campo perdendo de um a zero, o que deixou o torcedor preocupado, prevendo que o trivial iria acontecer. Mas, para a nossa surpresa, o time voltou com melhor posicionamento, dominou a posse de bola, ao contrário de outras oportunidades, onde os toques eram laterais, e de pouca criatividade.

Chegou ao empate com gol de pênalti, mas como disse, teve oportunidades de virar o placar, com Léo Ceará não acertando a meta adversária. Nada de ostentação, ou de que o treinador já mudou a cara o time, vamos com muita calma nesta hora. O que Barrocas mostrou, foi realizar substituições pontuais, e que surtiram efeitos, dando maior confiança ao elenco, que soube buscar o triunfo.

Será o colunista um leigo, se não disser que o time evoluiu, que a falta de garra, e a letargia não apareceram neste jogo, eu disse neste jogo, foram muito bem superadas, pela vontade dos atletas em campo. É preciso que esperemos a sequência da competição, mesmo porque o novo professor, não terá muito tempo de ministrar treinamentos.

O Vitoria já retorna ao certame na terça-feira, quando atuará no Barradão, recebendo o Guarani de Campinas, que está duas posições abaixo do Leão – o Vitoria é o 13º com 19 pontos, e o Bugre o 15º com 17 pontos, o que, para os torcedores, é jogo de seis pontos. E com estes dois resultados fora de casa, o time vai se desvencilhando do pelotão de rebaixamento.

#PRONTOFALEI.

*O texto é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Agência CH.