O baiano Mateus Nunes é o canoísta mais jovem a representar o Brasil em Jogos Olímpicos

0
132

O baiano Mateus Nunes é o canoísta mais jovem a representar o Brasil em Jogos Olímpicos

De Itacaré, o atleta é oriundo do Projeto Social Remando no Rio de Contas, integralmente financiado pelo Governo do Estado desde 2017

O potencial e o talento da canoagem baiana foram destaques mais uma vez nessa quinta-feira, 4, com a convocação de quatro baianos do total de seis atletas que integram a delegação brasileira nas provas de canoagem de velocidade nos Jogos Olímpicos de Paris 2024. Entre os estreantes, o nome do canoísta Mateus Nunes, do município de Itacaré, chama a atenção por conquistar vaga tendo apenas 18 anos, sendo o mais novo do grupo e o atleta mais jovem a representar o Brasil em uma Olimpíada.

Natural de Itacaré, Mateus passou a integrar a Seleção de Base da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) a partir de 2022, hoje, já treinando no grupo de profissionais. Até 2021, o jovem aprendeu a técnica e a colocava em prática nas aulas do projeto social Remando no Rio de Contas, atualmente denominado Remando em Águas Baianas e financiado integralmente desde 2017 pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

Na primeira vez em que Mateus Nunes participou do projeto tinha apenas sete anos. Para ele, ter passado pelo projeto foi fundamental para estar hoje na Seleção Brasileira. “O projeto Remando em Rio de Contas abriu portas e me deu apoio para eu estar aqui, na Seleção Brasileira. Acredito que se não fosse essa experiência, em Itacaré, eu não estaria aqui hoje”, afirma Mateus.

Sonho realizado – Ele também destaca que participar de uma Olimpíada é o sonho de todos os atletas.  “Com certeza, a indicação do meu nome é a conquista mais importante da minha vida. Estou alegre demais por estar participando deste grupo e por ter oportunidade de representar o Brasil nos Jogos de Paris. Estou realizado e também muito contente por ser o atleta brasileiro de canoagem mais jovem a disputar uma Olimpíada”, ressalta Mateus Nunes, que disputará a prova C1M1000.

Além de Mateus, integram a lista brasileira os também itacareenses Jacky Goldmann e Valdenice Conceição, também estreante na competição, sendo a primeira mulher brasileira a disputar uma prova de canoagem de velocidade olímpica. O outro nome é do veterano olímpico Isaquías Queiroz, medalhista nos anos de 2016 e 2020 e que busca se tornar o maior medalhista brasileiro na história de todas os Jogos olímpicos. Ele precisa de mais um pódio para se igualar e dois para ultrapassar Robert Scheidt e Torben Grael, ambos da vela.

Os canoístas Ana Paula Pergut (Paraná) e Vagner Souta (Mato Grosso) fecham a lista de seis atletas. A canoagem brasileira disputará as provas olímpicas de 06 a 10 de agosto,  em Vaires Sur Marne, França, comunidade distante cerca de 30 quilômetros de Paris, sede dos Jogos.

Investimento – A convocação dos quatro atletas baianos foi comemorada pelo diretor-geral da Sudesb, Vicente Neto. “Sabemos o talento nato para a canoagem que têm essa turma de Itacaré, Ubaitaba, Camamu, Maraú e outros municípios do sul da Bahia. O Governo do Estado entendeu este potencial e, desde 2017, vem investindo fortemente na região, tanto com obras de infraestrutura quanto com o fomento à iniciação esportiva. São cerca de R$ 25 milhões investidos nos últimos oito anos apenas na modalidade de canoagem”, destaca o gestor da Sudesb.

Na sua avaliação, os frutos desse investimento já vêm sendo colhidos e muitos novos atletas baianos da canoagem irão despontar nas Olimpíadas de 2028. “Não ficarei surpreso se 100% da futura delegação brasileira for integralmente formada por baianos”, prevê Vicente.

Segundo ressalta, o investimento do Estado vem sendo feito tanto na parte de infraestrutura, com construção de centros e núcleos de canoagem – já são seis unidades prontas – como no financiamento de projeto social, com aulas de iniciação esportiva para a garotada de 7 a 17 anos em Itacaré, Ubaitaba, Ubatã e Maraú, numa parceria com a Federação Baiana de Canoagem (Febac). A edição deste ano ganhou mais dois núcleos, formando turmas nos municípios de Itajuípe e Camamu, onde a Sudesb já construiu dois novos centros de canoagem. Ao todo, são 800 alunos já atendidos durante este período de oito anos, sendo 510 na edição deste ano.

Além disso, o Governo das Bahia apoia os atletas com passagens para que possam participar de competições dentro e fora do estado, assim como com os benefícios do Bolsa Esporte, que representa o recurso sendo diretamente depositado na conta do atleta beneficiado.

Ascom Sudesb