Sebrae promove encontro com startups em Juazeiro

0
135

Sebrae promove encontro com startups em Juazeiro

Evento reuniu atores do ecossistema inovação para apresentação do Programa de Aceleração no Norte da Bahia

Por Carlos Humberto para ML Comunicação

Com o propósito de impulsionar o desenvolvimento de startups e projetos tecnológicos que se encontram em atividade ou em operação inicial, o Sebrae em Juazeiro reuniu, nesta terça-feira (28), startups do Vale do São Francisco para Apresentação do Programa de Aceleração de Startups Sebrae Juazeiro.

O evento, realizado no Espaço Villa Beach, recebeu os atores do ecossistema inovação, formado por desenvolvedores, pesquisadores e investidores, que puderam apresentar seus projetos inovadores e conhecer o que acontece de importante no segmento no Vale do São Francisco.

O professor da Universidade Estadual da Bahia (UNEB) e Faculdade de Ciências Aplicadas de Petrolina (Facape), Ricardo Amorim, especialista em computação, é coordenador da Agro Labs – Tecnologias para o Agro, e pesquisador na região.

As primeiras empresas que seguiram esse modelo começaram a surgir no país em 2010 e, desde então, não pararam mais de surgir. O significado da expressão, numa tradução livre para o português, seria “comece” ou “começar algo”.
Mas, segundo o professor Amorim, conceitualmente, startup é inovação. “Podemos simplificar dizendo que é o diferencial nos países de sociedades desenvolvidas. Empresarialmente, startup é um grupo de pessoas que têm uma ideia inovadora e quer transformar isso em um negócio”, explica.

Em sua missão, o Sebrae investe em novas ações com a proposta de fortalecer os negócios inovadores e divulgar o potencial dos municípios do Norte da Bahia. O universo das startups aos poucos chega no território. Estima-se que Juazeiro, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco, já abrigam algo em torno de 50 startups atuando em várias áreas. Ampliar esse número é o objetivo do Projeto de Aceleração proposto pelo Sebrae.

Segundo o gerente regional do Sebrae em Juazeiro, Carlos Cointeiro, “a consolidação das startups na região vai acontecer de forma natural, graças à cadeia de fatores que favorecem o sistema, a inovação, as ferramentas para a capacitação e qualificação e as linhas de apoio para os investimentos”.

“De certa forma, esse encontro inicial é uma provocação para fecharmos a primeira turma de aceleração, que busca justamente sinalizar um direcionamento, para que os empreendedores possam aportar ao final dessa trilha e ter as suas ideias validadas, seja através da iniciativa privada, seja através de ações governamentais de editais de fomento, para ajudar esses negócios a se estabelecer de fato no mercado”, finalizou Cointero.